Aqua Multitoque
Tendências e análises

Como a tecnologia touchscreen está mudando o mundo

Como a tecnologia touchscreen está mudando o mundojulho 9, 2014

Diretor de marketing da Aqua

As telas e totens touchscreen são hoje presença constante na vida da maior parte das pessoas. Cada vez mais aparelhos substituem botões, teclados e outros dispositivos de interface pela interação direta na tela. Seja em tablets, notebooks, smartphones, terminais de autoatendimento ou vitrines interativas, a tendência é que esta tecnologia touchscreen se torne cada vez mais onipresente.

Fica fácil nos esquecermos que elas são um recurso bastante recente! Elas se tornaram comuns tão rapidamente que é como se sempre estivessem disponíveis.

Para entender melhor este fenômeno, vamos explorar um pouco mais sobre os motivos da sua popularidade. O que elas podem fazer pelo seu negócio? O que esperar do futuro? Acompanhe!

Uma nova dinâmica de uso

Uma mudança drástica que as telas multitoque trouxeram é o paradigma de uso dos aparelhos eletrônicos. Tradicionalmente, as telas apenas mostravam informações. Para interagimos com elas era necessário usar botões ou controles avulsos. Essa é uma lógica que durante muitos anos ditou o uso – e portanto, também o projeto e design – de muitos aparelhos, como os telefones, calculadoras, televisões e computadores.

OK, o vídeo acima mostra o mundo com menos telas interativas e mais equipamentos mecânicos. Não é a mesma coisa, mas dá para entender a metáfora.

Para interagir com estes novos aparelhos sensíveis ao toque foi então necessário o desenvolvimento de uma nova linguagem. Na falta de um botão, como dizer ao aparelho que se quer passar para uma próxima tela, ou acionar determinada função? Começamos a entender a popularidade da tela touchscreen quando pensamos nessa linguagem.

A interação por toque é muito mais natural, muito mais intuitiva para o ser humano. Ela é mais próxima das ações do mundo físico. Arrastar algum objeto com o dedo, como uma foto, para movê-lo, faz muito mais sentido para o cérebro que clicar com o mouse, arrastar e soltar o botão, por exemplo.

Tecnologia touchscreen na mão de todos

A consequência dessa linguagem gestual ser facilmente aprendida é que as telas multitoque são extremamente acessíveis! Com um projeto adequado, é possível criar interfaces com curvas de aprendizado muito baixas. Ou seja, o usuário consegue rapidamente aprender a usar suas funções, sem a frustração de cometer erros ou precisar de um longo período de treinamento.

Um dos aparelhos de consumo mais bem vendidos da história é o iPhone, da Apple. Assim como o iPad, sem irmão com dimensões maiores e igual sucesso, trata-se de é um aparelho notório pela facilidade de uso.

Após o seu lançamento, uma verdadeira enxurrada de vídeos mostrando crianças, idosos e até mesmo pessoas com necessidades especiais usando os aparelhos varreram a internet. Provavelmente você já viu alguma cena dessas. Se não, confira este:

Tornar democrático o acesso a um programa ou interface é simplesmente revolucionário! Nos bastidores, estes aparelhos são muito complicados. Existe uma infinidade de processos que funciona em conjunto para trazer o que o usuário precisa na hora certa. A beleza da interação por toque é que ela “esconde” isso do usuário, mostrando apenas o necessário para realizar sua tarefa.

Versatilidade sem paralelo

Quando usamos botões, mouses ou qualquer dispositivo para manusear um aparelho, ficamos amarrados àquela interface física. Ela é basicamente fixa. Quer dizer, é impossível dispor de um novo conjunto de botões, com um novo formato e posicionamento para cada novo programa ou tarefa.

Nas telas de toque isto é possível! A interface pode se transformar para ser o mais eficiente possível em cada ação específica, valorizando a experiência e a facilidade de uso em cada etapa. A capacidade de criar soluções eficientes para as mais diversas soluções é um dos fatores determinantes na sua popularização.

Quando penso em botões, lembro-me dos celulares da Blackberry, que tinham teclados completos como um de seus diferenciais. Quando surgiram os smartphones com telas interativas, sem botões fixos, houve uma ruptura desse modelo e em breve as pessoas perceberam que a ausência de teclas era na verdade um benefício, e não um problema.

Steve Jobs no lançamento do iPhone

A imagem acima é de Steve Jobs, CEO da Apple, durante o lançamento do primeiro iPhone. O ano era 2007, no reinado de empresas como Palm, Motorola, Blackberry e Nokia. Repare como todos os principais telefones do mercado tinham teclados QWERTY e pequenas telas. Uma década depois, quase todos os smartphones são com telas interativas e praticamente não têm botões.

A Apple não foi a primeira a usar touchscreen em celulares. Mas foi talvez a primeira a perceber seu potencial para revolucionar seu mercado.

O futuro touchscreen é mais interessante e envolvente

Mesmo quando telas touchscreen se tornarem comuns, utilizar um aplicativo bem feito em uma tela de alta qualidade ainda terá um fator de futurismo, de alta tecnologia. Experiências únicas já se tornam memoráveis por essa natureza.

Por analogia, filmes e carros são comuns há muito tempo, mas ainda é possível gerar surpresa e encantamento com projetos bem feitos, que nos tragam uma experiência diferenciada. A conclusão é que não basta ser novo, é preciso ser inovador. Há muita diferença entre essas duas características, e é certamente recomendado que qualquer projeto interativo entenda isso para alcançar resultados positivos.

As expectativas do consumidor se transformaram

Como aparelhos novos com tela interativa são lançados todo o tempo, o consumidor está rapidamente se acostumando a interagir através do toque em situações cada vez mais amplas. Após usar um iPad por algum tempo, é normal que a pessoas se sente no notebook e tente encostar na tela. É uma reação normal do nosso cérebro. Ele simplesmente espera que o próximo aparelho funciona da mesma maneira!

Há relativamente pouco tempo atrás, uma tela de LCD em uma vitrine já seria suficiente para causar um grande impacto e destacar qualquer loja. As pessoas se encantavam com o fato de, em vez de pôsteres pintados e placas, terem sobre os caixas e balcões telas dinâmicas, que podiam mostrar vídeos ou alternar itens e promoções. Hoje isto já não é diferencial algum. Na verdade, temos depoimentos de clientes que afirmam que há até uma certa decepção de clientes que não conseguem interagir com os monitores de TV comuns.

A tecnologia touchscreen cresceu e apareceu

As telas multitoque conquistaram seu espaço, seja em lojas, espaços públicos ou empresas. Elas ainda são capazes de gerar grande encanto e experiências inesquecíveis, principalmente se forem desenvolvidas por profissionais qualificados. O mercado está reagindo cada vez mais rapidamente aos novos anseios do público.

De ações promocionais à decoração permanente, passando por processos de treinamento e autosserviço, as touchscreens já tem centenas de aplicações diferentes no comércio. Elas se configuram como um investimento em modernização e eficiência de processos, mas também como ação de marketing e até de vendas.

Agora que você já conhece melhor os motivos da popularidade das touch screens, aproveite para ler também como o encantamento é chave para liderar mercados.

Já começou a pensar uma estratégia para trazer uma tela multitoque para o seu negócio? Inspire-se com os nossos exemplos de soluções touchscreen e entre em contato com um dos especialistas da Aqua.

Foto: //www.flickr.com/photos/aperturismo/4488250788